Sábado, 31 de Março de 2012
Ein Karem - a terra do Precursor

          A manhã de domingo, dia 19, foi gasta, na maior parte, a visitar a igreja de São João Baptista e a da Visitação que ficam ambas na pitoresca aldeia rural de Ein Karem, a uns 7km afastada de Jerusalém. Desenvolveu-se o centro de pequena vila, à volta de uma fonte que dizem remontar ao período Cananita, na era do Bronze,  e as suas águas constituíam um recurso importantíssimo para os habitantes do lugar. Segundo a tradição cristã a Virgem Maria quando chegou a Ein Karem em visita a sua prima Isabel terá bebido nesta fonte antes de se encontrar com a parente. Razão que explica o porquê de tantos peregrinos encherem ali garrafas com água dessa "fonte milagrosa". Fonte que desde séc XIX os árabes quiseram valorizar, construindo uma mesquita por cima da estrutura de uma fonte cuja água actualmente apenas é utilizada para rega das terras.

          Às 06h15 (08h15 em Israel) já nós estavamos a entrar no recinto da igreja de São João Baptista para iniciar mais uma jornada em peregrinação pelos  trilhos da Terra Santa. E cada lugar com seu historial, aqui para além de São João, também seus pais, Zacarias e Isabel, assim como Nossa Senhora e São José emergem ao pensamento e ocupam o nosso reflectir cristão sempre que se visite um lugar destes. Só a chuva é que não ajudou na passagem por Ein Karem

            

          Na cauda do grupo e todo molhado, preparo-me para também subir as escadas e entrar no templo consagrado a "São João de Ba Harim" que quer dizer " São João nas montanhas". A primitiva construção é do séc. V, e assente sobre as ruínas do que foi a casa dos pais de São João, mas entratanto sofreu muitas alterações ao longo dos séculos, a mais recente foi no séc XIX, na década de 30, já sob responsabilidade dos franciscanos

          Interior rico em azulejo, predominantemente azul.

           São João Baptista, em Ein Karem

 

           Na parte inferior fica a "Gruta Benedictus" local onde nasceu São João e que uma estrela de mármore sob o altar assinala com uma frase   gravada em Latim: " Aqui nasceu o precursor do Senhor". 

           Este é um pedaço da pedra, por atrás da qual Isabel escondeu João Baptista da ferocidade de Herodes, salvando assim a criança de morrer às mãos sangrentas e  cruéis da soldadesca. É uma curiosidade, para quem visita o lugar, ver nesta pedra a marca de um corpo de criança que dizem terá ali deixado São João quando Isabel o escondeu dos soldados de Herodes, na altura do Massacre dos Inocentes.

 

           No adro da igreja, um azulejo contém gravado, em português, o cântico de Zacarias (Lc.1:67-80) 

 

         Como a de São João Baptiista a recordar o nascimento do precursor, também a igreja da Visitação  ou do Magnificat está sob custódia franciscana. Esta, lembra a visita de Nossa Senhora a sua prima Isabel e a resposta que Maria deu ao ser saudada por Isabel.(Lc.1:39-45; 46-56)

          Interior da igreja da Visitação.

 

           No tecto uma cena do encontro de Maria com Isabel ( a Visitação). A igreja da Visitação foi construída em meados do séc. XX sobre os vestígios de antigas construções sagradas, das epocas Bizantinas e Cruzadas.

           O edificio consta de duas partes:igreja superior, onde o serviço religioso decorre, e a cripta, onde está o fonte da qual brotou água no momento em que Isabel recebeu a Mãe de Jesus.

 

           Às 07h50 estavamos a passar junto este mural adornado com o hino a Magnificat, em mais de quarenta linguas reproduzido, para deixar a terra que viu nasceu São João Baptista e a mim me fez recordar a nossa serra de Sintra, até pelo seu microclima.



publicado por aquimetem às 18:23
link do post | comentar | favorito

2 comentários:
De mg a 3 de Abril de 2012 às 18:06
A igreja de São Joaão Baptista, que linda! Adorei os tetos , o azul dos azulejos e aquela cripta...parece uma gruta.
Não conhecia aquela passagem, de o S.João ter sido salvo pela matança dos inocentes, pela prima de Nsa. Senhora....Grande pedra...
Pena chover...


De aquimetem a 7 de Abril de 2012 às 01:02
Bem! Feio não sei se vi por lá alguma coisa, mas bonito e novo para mim, sim. Não sei se antes de Israel ser quem ali domina já o zelo pelos monumentos tinha a mesma relevância que tem agora. Mas o que é verdade hoje os monumentos estão bem protegidos e cuidados, pois também são uma fonte de receita para o estado. Quanto a São João ele apenas era mais velho seis meses que Jesus, daí também estar na mira de Herodes. Está sempre bem atenta aos textos...Obrigado.


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


posts recentes

Vão a Ávila com a Bajouca...

Não poder aproveitar

À Verde Pino

Visita à Terra Santa

De visita a Jerusalém

Muro das Lamentações

Basílica do Santo Sepulcr...

Via Dolorosa

Dentro das muralhas

De Ein Karem ao Menorah

arquivos

Maio 2015

Agosto 2013

Junho 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

tags

todas as tags

favoritos

paula-travelho

Boletim ou Folha - 1

Bodas de Prata duma Prela...

O valor a quem o tem !

Razões para uma escolha

Os manos

BTT- Fisgas de Ermelo - S...

Coisas que não esquecem

Errar é próprio do homem

Laranjeiras

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds