Quinta-feira, 5 de Abril de 2012
Gruta do Getsêmani

           

          Ainda não eram 08h30 e já nós havíamos chegado ao Monte das Oliveiras para do topo do Cemitério Hebraico admirar o imprecionante panorama  que dali se desfruta sobre Jerusalém e tudo quanto à volta da Cidade Antiga, a vista alcança. Nesta foto procuramos focar o Monte Sion, onde fora das muralhas se situa São Pedro de Galicante.

  

           Do mesmo local, encosta sul do monte, recolhemos esta imagem do cemitério hebraico que se diz ser o mais antigo do mundo, com funcionalidade permanente há mais de 4.000 anos. São mais de 150.000 os túmulos ali existentes. E li algures, que a mais recente pessoa a ser ali enterrada teve de  desembolsar USD 2 milhões. Isto porque é convicção daquele povo que no dia da Ressurreição, os enterrados ali estarão na primeira fila.  Ou seja que na vinda do Messias, no dia do Juízo Final, serão os primeiros a ressuscitar dos mortos.Nesse sentido para orientar a sua caminhada até ao Monte do Templo, todos são enterrados com os pés voltados para lá. Outra curiosidade:é o costume de em vez de flores, os judeus colocar pedras sobre os tumulos que significam a eternidade. ( Lc.19: 28-48).                                                                                     

           Separado pelo muro e a via publica, fica já no vale, ao fundo do Monte das Oliveiras, a arvorizada cerca do santuário Dominus Flevit. Mas vamos ao Monte das Oliveiras e a saber: faz parte da fronteira ocidental do Deserto da Judeia, e como já disse está cituado em frete à Cidade Antiga de Jerusalém,  e pelo vale do rio Cidrom desta separado. Pertence à cadeia de montanha que começa a leste de Jerusalém e prossegue para além de 3km, nos quais se destacam três elevações distintas: Monte Scopus (826m); o pico de at-Tur (818m) e Monte Destruidor (747m). Ver-lhe referência no Novo Testamento (Lc.19: 28-48). 

         

            Descendo pela rua a par do cemitério entramos no portão da cerca do santuário Dominus Flevit (= O Senhor Chorou). São dois os lugares aqui relacionados com a Agonia de Jesus, a Gruta do Getsêmani, lugar onde Judas atraiçoou o Mestre; e a Rocha da Agonia, onde está localizada a basílica.  

           Contornando uma parte deste jardim de centenárias ou talvez milenárias oliveiras, vai-se entrar na basílica da Agonia projectada pelo arq. A. Barluzzi.

 

           No meio de tantas oliveiras seculares que adornam o jardim, há uma de tenra idade que Paulo VI ali plantou em 1964. Está assinalada.

          A actual basílica, de 1924, que fica na área do Getsêmani é propriedade dos franciscanos que muito sofreram para o conseguir. Embora obedecendo ao projecto de A. Barluzzi, as escavações que deram origem ao aparecimento dos restos de mosaicos de uma igreja medieval obrigou  a que fossem revistos os planos da nova construção. Dividida em três naves, separadas por seis colunas cor-de-rosa, é obra digna de admiração .

  

          Diante do altar ressai a Rocha da Agonia, cercada por um coroa de espinhos de ferro e de ramos de oliveira. Os pássaros, olhando o cálice, representam os fieis que querem partilhar do sofrimento de Jesus. As duas pombas agonizantes e feridas de morte completam todo o impressionante conjunto que "questiona o visitante acerca da sua conformidade com a vontade do Pai". Dado a actual basílica ser maior que a bizantina , o pavimento de mosaico cobre apenas a área bizantina; o restante espaço é feito em mármore cinzento. A entrada na basílica é  feita por um único pórtico.

 

          Vizinha da basílica ou igreja de todas as nações - onde Jesus solta esta súplica : "Pai, se é de teu agrado, afasta de mim este cálice! Não se faça, todavia, a minha vontade, mas sim a tua" (Lc 22:40-46) - fica a Gruta do Getsêmani, lugar da traição de Judas e do aprisionamento de Jesus. Por cima do local nunca  foi construída nenhuma igreja porque ela só por si já era um excelente lugar de oração para os judeus cristãos e bizantinos, como continua sendo ainda hoje. Os cruzados fizeram dela uma igreja rupestre, decorando-a com pinturas, frescos e inscrições como esta: "Pai, se tu queres, afasta de mim este cálice". A basílica da Rocha da Agonia é também conhecida por Igreja  de Todas as Nações, porque foi construída com o apoio dos fieis e amigos de todo o mundo.

           Entrada na Gruta

           Altar da Gruta do Getsêmani ou da Traição de Judas. Podem ver-se algumas das pinturas que adornam a gruta, nas paredes e tecto.

           O Sr. Padre Melquiades na celebração eucarística do dia, na Gruta do Gestsêmani

  

          Outro ponto de visita obrigatória é o sepulcro de Maria, localizado junto ao Jardim de Getsêmani. É uma espécie de caverna talhada na rocha e que começou a ser venerado desde o séc. XII. Começa a visita num pequeno pátio que serve de entrada para uma longa escadaria subterrânea coberta por muitas dezenas de antigas lanternas; que em ambiente silencioso e escuro conduz a um pequeno altar ricamente adornado, ao lado do qual está o local da tumba.

       

     O altar, com um retábolo em que mostra os apóstolos a transportar o corpo da Virgem Maria antes da sua Assunção aos Ceus 



publicado por aquimetem às 17:42
link do post | comentar | favorito

2 comentários:
De mg a 12 de Abril de 2012 às 18:09
Sempre um gosto apreciar a vista do Monte das Oliveiras!
Curioso aquelas pedrinhas todas do Cemitério Hebraico...
Adorei o pormenor da oliveira plantada por Paulo VI.Gostava muito deste Papa, Tinha um ar doce e sereno.
Esta Gruta do Getsêmani, monumento muito significativo, pela traição de Judas e pela prisão de Jesus. Fez -me impressão a Rocha da Agonia. Parece que tem presença ainda...
Esta entrada para a Gruta, que bonito, aquele empedrado todo.
Misterioso este sepulcro de Maria, parecendo, sim uma verdadeira gruta...


De aquimetem a 17 de Abril de 2012 às 00:53
Reparei agora no vosso comentário muito directo ao Monte das Oliveiras, realmente um relevo vizinho e paralelo a Jerusalém pelo qual também eu fiquei seduzido , mas só dificilmente lá voltarei. É longe e fica dispendiosa a viagem, embora seja uma boa aplicação...Melhor do que em alguns bancos portugueses, como já aconteceu. Diferente, mas também em Portugal temos coisas dignas de ver que só lhes falta é serem devidamente divulgadas e postas a render como fazem os países com políticos cultos e competentes que nós não temos. Os nossos tem jeito, mas é para coveiros....


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


posts recentes

Vão a Ávila com a Bajouca...

Não poder aproveitar

À Verde Pino

Visita à Terra Santa

De visita a Jerusalém

Muro das Lamentações

Basílica do Santo Sepulcr...

Via Dolorosa

Dentro das muralhas

De Ein Karem ao Menorah

arquivos

Maio 2015

Agosto 2013

Junho 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

tags

todas as tags

favoritos

paula-travelho

Boletim ou Folha - 1

Bodas de Prata duma Prela...

O valor a quem o tem !

Razões para uma escolha

Os manos

BTT- Fisgas de Ermelo - S...

Coisas que não esquecem

Errar é próprio do homem

Laranjeiras

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds